Saúde em Tefé é novamente destaque e está entre as finalistas do Prêmio APS Forte para o SUS : Acesso Universal - Prefeitura de Tefé

Saúde em Tefé é novamente destaque e está entre as finalistas do Prêmio APS Forte para o SUS : Acesso Universal

Saúde em Tefé é mais uma vez destaque e está entre as finalistas do Prêmio APS Forte para o SUS

Compartilhe com os amigos!
155Shares

A cidade de Tefe, distante 523 km de Manaus, é a única cidade do Amazonas a estar na fase final do Prêmio APS Forte para o SUS: Acesso Universal.

Estas iniciativas promovem a melhoria do acesso da população no SUS, priorizando e reforçando o papel da Atenção Primária à Saúde (APS) como porta de entrada prioritária e coordenadora da atenção no sistema de saúde.

UBS Fluvial Vila de Ega

No início, um total de 1.294 estratégias adotadas por trabalhadores da APS para melhorar a saúde da população brasileira foram registradas no site do Prêmio APS Forte. Delas, 946 foram aprovadas na primeira fase de seleção sendo que 135 foram indicadas para o prêmio, antes da seleção das 11 práticas finalistas.

As práticas foram escolhidas pelo comitê técnico integrado por representantes dos Conselhos de Secretários Estaduais de Saúde e das Secretarias Municipais de Saúde (Conass e Conasems), do Conselho Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde.

Práticas das cinco regiões brasileiras foram escolhidas para a reta final da apuração que levará três (3) vencedores para conhecerem uma experiência internacional de rede de atenção à saúde focado na Atenção Primária à Saúde (APS). O objetivo do prêmio é valorizar, sistematizar e divulgar experiências que ampliam o acesso do cidadão ao Sistema Único de Saúde (SUS).

As experiências estão em análise desde segunda-feira (23) por um time de jurados especiais que tem a missão de julgar as finalistas sob a perspectiva do usuário. Fazem parte do grupo a colunista Claudia Collucci (Folha S. Paulo), a radialista Mara Régia (Rádio Nacional), a repórter Lígia Formenti (Estadão), o médico Drauzio Varella e os jornalistas Luiz Fara Monteiro (TV Record), Alan Ferreira, Chico Pinheiro (TV Globo) e Lise Alves (colaboradora da revista The Lancet).

O resultado final será divulgado em evento a ser realizado no dia 29 de outubro, na OPAS, em Brasília.

Projeto de Tefé – Criação de uma Unidade Básica de Saúde – Fluvial ( UBSF Vila de Ega ).

Tefé chegou a finalíssima devido os constantes investimentos feitos pelo Prefeito Normando Bessa de Sá e que em 15 de junho de 2018, conseguiu entregar à população tefeense a primeira UBS Fluvial e assim incluir a população ribeirinha nas ações de Saúde Pública com mais qualidade e indo ao encontro dos ribeirinhos. A UBS Fluvial, que recebeu o nome de “Vila de Ega”, foi construída com recurso de uma emenda parlamentar do deputado federal Átila Lins (PP), no valor de R$ 2 milhões, repassado à prefeitura de Tefé no final de 2017, porém o valor entrou na conta do município em março de 2018, noventa dias depois do recebimento do recurso, a Unidade Básica de Saúde Fluvial foi entregue à população tefeense.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Esta experiência mostra que é possível fornecer saúde de qualidade e cidadania para comunidades ribeirinhas e para os povos da floresta. Desenvolvida em Tefé, cidade à 540 km de Manaus (AM), onde as ruas são rios, os serviços da Atenção Primária à Saúde teve que se adaptar às condições do território.

Vontade política, flexibilidade normativa da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB), qualificação técnica e dedicação dos profissionais de saúde do SUS de Tefé possibilitaram a ampliação do acesso aos serviços de saúde para cerca de 850 famílias.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A solução encontrada foi a construção de uma embarcação (chamada Vila Ega), para ser a Unidade de Saúde da Família Fluvial (USFF) formada por uma equipe multiprofissional de saúde. A embarcação atende comunidades que não tem estruturas físicas de Unidades Básicas de Saúde (UBS) e apoia o trabalho de outras quatro equipes tradicionais de saúde ribeirinhas.

Desde junho de 2018 até maio de 2019, foram realizadas 14 viagens pela UBSF Vila de Ega onde a equipe trabalha com uma carteira ampliada de serviços, oferecendo consultas médicas, de enfermagem, odontológicas, com psicólogos, atendimentos de pré-natal e consultas puerperal, serviços de vigilância, busca ativa de doenças e agravos não-transmissíveis, exames laboratoriais, entre outros, além de vacinação.

Esta experiência, selecionada por meio do Prêmio APS Forte para o SUS, já faz diferença nas condições de vida daqueles usuários antes isolados ou com acesso restrito à saúde. É um SUS que se materializa no território. Os resultados de quase um ano da experiência são aumento das coberturas vacinais, zero morte materna, acesso pela primeira vez às consultas odontológicas, aumento no número de exames citopatológicos do cólo de útero em mulheres entre 25 a 64 anos, entre outros.

Deixe um Comentário
Compartilhe com os amigos!
155Shares